Translate

Mulheres Fatos e Versões 30 de Maio 1º Workshop combate violência contra mulheres...


Olá meus amores, hoje venho falar de um acontecimento que vai ter lugar do outro lado do atlântico no Brasil, mas que infelizmente o seu conteúdo está em todo o mundo! 

Violência contra as mulheres!!

A violência por si só é um ato condenável de parte a parte, mas violência contra a mulher é um ato deplorável.   O homem que bate em mulher não é homem, não merece ser chamado de homem nem tratado como tal, porque se ele se acha muito homem por bater numa mulher é porque ainda tem muito que evoluir mentalmente.

Convido a quem estiver no Brasil a ir assistir a este workshop dia 30 de Maio e ouvir as partilhas destas grandiosas mulheres. 

Dia 30 de Maio das 13h às 21h...

Apareçam:





Instagram Mulheres Fatos e versões

Será que acreditar no amor está fora e moda?

 

Bem, hoje apetece-me falar de sentimentos, de emoções, afinal de contas são a nossa maior riqueza. Não quero me repetir quando digo que por vezes sinto que vivo na época errada, ou no século passado em relação ao amor, mas vou ter que o fazer! 

Olho em volta, oiço as conversas, absorvo tudo, riu-me das piadas e aprendo com elas sem dúvida, mas muitas vezes questiono-mo se realmente acreditar no amor está fora e moda?



Vivemos numa sociedade tão virada para a sexualidade, para o corpo, para a imagem exterior que muitas vezes o interior passa a secundário. Bem ok estou a ser um pouco «hipócrita» , eu própria adoro ver um sorriso bonito um olhar cativante e isso é físico sim, mas se o interior não me cativar então nada feito. 

Quando se fala em relações, em fazer o «amori» ou o sexo, que sinceramente é o que se pratica mais hoje em dia, sem qualquer problema, cada é um é livre de seguir o caminho que quer é que me questiono...

Se eu aceito e compreendo quem faça sexo pelo sexo, porque é que às vezes as pessoas não entendem que para se dar esse passo é preciso algo mais? Já nem falo em relação e namoro, que namorar hoje em dia é coisa para quem tem mais de setenta anos e quer terminar a vida com alguém. 

Mas, faz-me uma certa confusão a questão de pensarem que não se pode viver sem praticar o «amori». Estar em abstinência porque se gosta de entregar o corpo a quem nos faz sentir «borboletas» no estômago é assim tão fora de moda? Será que a essência do amor, dos sentimentos estão assim tão alterados nos dias de hoje?


Outra questão, não praticar sexo não quer dizer que uma pessoa seja ignorante das coisas do prazer, ou é preciso saber dançar perfeitamente o tango para se saber como se dança?? E estamos sempre a aprender não é? Quando há amor o resto vem...

Em relação ao sexo é a mesma coisa!!! Quem esteja em abstinência ou não o faça com muita frequência lá terá as suas razões. Eu tenho as minhas e pronto!

Lá vem ela com a historia do «príncipe encantado»!

Será que não percebem que «príncipe encantado»  é alguém que seja perfeito para «nós» mulheres que acreditamos no amor? Não é nenhum homem montado no cavalo branco, é um homem que tenha qualidades assim como tenha defeitos mas que cujo amor supere as diferentes, porque não há mundos diferentes nem amor assim a assim, ou se ama ou não, ou se gosta ou não. 

Todos somos perfeitos na nossa imperfeição!! Por isso eu espero o meu Príncipe cheio de imperfeições... O que importa é ser feliz, dure o tempo que durar!



Mas porque é que faz tanta confusão na cabeça de algumas pessoas que uma mulher ou um homem só se entreguem quando o «coração sente tesão»? 

Eu compreendo perfeitamente quem tenha sexo apenas por sexo por desejo, por loucura, por prazer e que o façam minha gente, façam o amori e deixem de se preocupar tanto com quem não o faz por fazer!

Acreditar no amor pode estar realmente fora de moda ou a caminhar para a extinção, mas a liberdade de escolha essa eu vou ter sempre, eu e tu! Não podemos mudar por nos «sentirmos inferiores» a nível de experiências sexuais, pelo contrario, sentir orgulho de partilhar algo com quem realmente valha a pena.

Uma mulher quando é mãe pela primeira vez nasce nela um instinto e uma agilidade de cuidar daquela criança, daquele bebe, como se já tivesse toda a experiência do mundo e com o tempo  vai adquirindo mais e mais agilidade e química com o seu bebe pois ele está ali presente todos os dias...

Alguém que não tenha muito experiência a nível sexual  mas que sinta que aquela é a pessoa certa, tem um mundo por descobrir à sua frente...Desde que a pessoa permaneça «ali» certo? 

Amigos, não vou maçar mais com palavras, só senti necessidade de partilhar isto porque muitas vezes penso que se o amor está mesmo fora de moda então eu prefiro não seguir a moda...



Eu sigo a minha essência, o meu coração, não vou atrás de «rebanhos» e sou feliz assim. Claro que sou humana, tenho momentos tristes, saudades de carinho de afecto, de mão na mão, de beijos quentes de abraços fortes, de olho no olho, de dormir de «conchinha», mas se esta é a minha essência porque a vou sabotar e deitar-me com este ou aquele que não tocou o meu coração?

Só corpo não me atrai, e como a mim isso acontece, aprendam de uma vez que existem milhares de pessoas assim, mas que estão fechadas na sua cocha por vergonha da sua essência, por vergonha de acreditarem no amor...

Meus amigos, façam amor, façam sexo, façam aquilo que quiserem, liberdade acima de tudo!! Só peço que aceitem , respeitem e compreendam quem o não faça se o «coração não sentir tesão»!!
É tão simples assim, aceitar, apenas aceitar...

Aqui fica esta música linda que espelha perfeitamente a minha versão de «Príncipe»
Prestem atenção na letra e  vêm que os príncipes não são «caras» perfeitos...






Não tenham medo do ridículo porque ridículo é não ser feliz...

Escrevam-me: margaridaprimeiravez@gmail.com


 
© Margarida Menezes - 2017. Todos os direitos reservados. Criado por: Profissão: Rosa. Tecnologia do Blogger. imagem-logo