Translate

O Gato do olhar Doce...Márcio Matos...


Olá pessoal, este novo gato demorou a sair do «forno» mas já está aqui e em grande estilo para ser apresentado. Márcio Matos, o nosso primeiro gato de 2018 para começarmos o ano de vista limpa!!
Uma cara e um corpo bonito nunca fez mal a ninguém, mas Márcio tem um coração e uma humildade de ouro, uma das entrevistas mais bonitas e sinceras que fiz. Miau Miauuu a todos...Desfrutem...

Raio X:

Nome: Márcio Alexandre Da Silva Matos 
Data Nascimento: 26/12/1978
Naturalidade: Alentejano, mas vivo no Algarve há 19 anos
Profissão: Bartender e Empresário 



Margarida Menezes: Para quem não te conhece bem. Como te defines?

Márcio Matos: Sou uma pessoa muito humilde e transparente. Para me definir concedo a mim mesmo todas as possibilidades de ser...Mudo os caminhos se achar necessário...


Não sou apenas do tamanho dos meus sonhos, vou mais além...

Hoje poderia me definir em meus erros, acertos, tristezas, alegrias...até com aqueles momentos de fúria ou intensa paz...


Eu sou uma junção de sentimentos, cada um no seu devido momento...
Isto sim é viver...porque viver é sentir...

Uma Aventura na Ilha da Madeira...


Bem amigos, confesso que já estava com saudades de escrever, deixar o portátil em casa e partir à aventura sozinha para a ilha foi como sair de casa sem sapatos...Mas a tecnologia está tão presente no nosso dia a dia que por vezes funcionamos mais como máquinas do que como seres humanos, mas confesso que praticamente duas semanas sem um dos meus melhores amigos (o teclado) me senti perdida...Amo escrever como amo respirar até porque quando deixar de respirar não vou estar mais aqui...Mas vamos lá a isto minhas queridas teclas...Respirar fundo e contar-vos a minha primeira grande aventura sozinha na ilha...


Como vocês sabem, ou alguns de vocês a minha mãe é madeirense, por isso tenho uma costela desta linda terra onde me encontro. A minha avó é de Câmara de Lobos e assim como os 20 filhos que teve a minha mãe foi uma delas, mas que cedo partiu para o Continente em busca de uma vida melhor...





E hoje 35  anos mais tarde, eu regresso para viver aqui talvez o que ela nunca chegou a viver...Outros tempo, outras vontades...Outra vida...A mesma base...realizar sonhos...



Primeira Semana na Ilha: 


Aterrei...Aterrei pela primeira vez agora no aeroporto Cristiano Ronaldo, na minha bagagem de 20 quilos, vinham mais uns tantos dentro do meu peito, para trás deixei a minha mãe e o meu pai em casa para eu vir viver uma aventura e realizar um sonho...



Para alguns é normal deixar os pais, mas eu, eu sou a menina da mama, estou habituada a viver como uma princesa em casa, o máximo que fiquei longe dela foram 10 dias na minha aventura a Marrocos, agora 43 dias longe...A saudade estava na bagagem e essa era já bem pesada...Mas...ano novo vida nova, desafios novos. 
Despedi-me do meu trabalho onde estava já à 6 anos efectiva, sai da minha zona de conforto e voei...

A primeira semana custou-me imensamente a passar, apesar de estar na casa de uma tia a quem muito agradeço o acolhimento e a atenção, e ter estado logo nessa primeira semana com a minha querida avó que tem uns belos 91 anos, ter visto minhas tias e meus primos, sentia-me perdida num aquário...Faltava-me  a minha base, os meus pais os meus amigos, as pessoas que eu sempre tive por perto...Não os tinha...somente através da Internet...agora percebi que o virtual não é a mesma coisa.




Quantas vezes recusei sair com este ou aquilo amigo/a para estar em casa agarrada a uma rede social? Várias...demasiadas...agora aqui estas amizades reais fizeram me falta...Eu que adoro a minha companhia que amo andar sozinha e desfrutar da minha pessoa, estava com falta de desfrutar da companhia de algum amigo...Irónico não é verdade?


O mar...amo o mar...para combater este sentimento de vazio, este sentimento solitário mas sempre de sorriso no rosto refugiava-me no mar, olhar para ele, sentir a brisa, as ondas fortes agitavam a minha mente e o sol aquecia-me o coração.  


As gentes das Madeira são pessoas simpáticas, simples e acolhedoras, os passos solitários que dei na primeira semana pareciam-me mais acompanhados, dia a dia fui me sentido menos sozinha, menos deslocada, menos perdida e se esta foi uma escolha minha, também era meu dever fazer com que valesse a pena, quem podia controlar isto era eu apenas eu...
Afinal de contas eu estava aqui para realizar um sonho...


Mudei...   



© Margarida Menezes - 2017. Todos os direitos reservados. Criado por: Profissão: Rosa. Tecnologia do Blogger. imagem-logo